sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Mensagem de Textos e Reflexões

Para todos os seguidores, admiradores, leitores e visitantes, a postagem sobre o tempo, logo abaixo é para refletirmos como nossas vidas andam corridas, que às vezes não temos tempo pra quase nada e nem paramos pra pensar sobre isso de tão acostumados que estamos. Espero que nesse novo ano que se inicia todos possamos aproveitar melhor nosso tempo, com a família, amigos, lazer, e até com pessoas desconhecidas, façamos novas amizades.
Esses são os votos de Textos e Reflexões para todos vocês. Feliz Ano Novo!

Tempo

O famoso pintor do século XVII da dinastia Ming, Chou Yung, conta uma história que mudou o seu comportamento para sempre. Numa tarde de inverno ele foi visitar uma cidade que ficava do outro lado do rio. Levava alguns livros e documentos importantes e tinha contratado um menino para ajudá-lo. Quando a balsa estava se aproximando da outra margem do rio, Chou Yung perguntou ao barqueiro se teriam tempo de chegar à cidade antes que os portões se fechassem, visto que estavam a um quilometro e meio de distância e anoitecia. O barqueiro olhou para o menino, e para o pacote mal amarrado com os livros e documentos – “Sim”, ele respondeu, “se não se apressarem.”
Mas quando eles começaram a caminhar, o sol já estava se pondo. Temendo ficar presos do lado de for a da cidade, à mercê dos bandidos da região, Chou e o menino apertaram o passo, disparando finalmente numa corrida. De repente, o barbante que segurava os documentos se rompeu e os papéis se espalharam pelo chão. Os dois levaram alguns minutos para refazer o pacote e quando chegaram aos portões da cidade já era tarde.
Quando você se apressa por medo ou impaciência, cria uma série de problemas que exigem conserto, e acaba levando muito mais tempo do que se tivesse ido com calma. Os apressados podem ocasionalmente chegar mais rápido, mas os papéis se espalham voando por todos os cantos, novos perigos surgem, elês se vêem em constantes crises, consertando problemas criados por eles mesmos. Às vezes, não agir diante do perigo é a melhor coisa a fazer - você espera, deliberadamente se acalma. Com o passar do tempo, acabam se apresentando oportunidades que você nem imaginou serem possíveis.

(do livro: “As 48 leis do poder” – Robert Greene / Joost Elffers)

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Frases

“Qual é o homem mais inútil? Aquele que não sabe mandar, nem obedecer.”

(Goethe)

“Dar o exemplo não é a melhor maneira de influenciar os outros. É a única.”

(Albert Schweltzer)

“O homem aprendeu a escrever os defeitos no bronze e as virtudes na água.”

(Beethoven)

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Do seu jeito

"IVE LIVED A LIFE THAT'S FULL/I'VE traveled each and every highway/But more, much more than this/I've lived it my way".

Este é um verso de "My way", canção que foi imortalizada por Frank Sinatra e que também foi gravada pelo Sex Pistols e por Nina Hagen. É a história de um cara que viajou, amou, riu e chorou como todo mundo, mas fez isso do jeito dele. Numa sociedade cada vez mais padronizada, esta letra deveria virar hino nacional.

Abro revistas e encontro fórmulas prontas de comportamento: como ser feliz no casamento, como ter uma trajetória de sucesso, como manter-se jovem. Resolve-se a questão com meia dúzia de conselhos rápidos. Para ser feliz no casamento, todo mundo deve reinventar a relação diariamente. Para ter uma trajetória de sucesso, todo mundo deve ser comunicativo e saber inglês. Para manter-se jovem, todo mundo deve parar de fumar e beber. Todo mundo quem, cara pálida?

Todo mundo é um conceito abstrato, uma generalização. Ninguém pode saber o que é melhor para cada um . Fórmulas e tendências servem apenas como sinalizadores de comportamento, mas para conquistar satisfação pessoal pra valer, só vivendo do jeito que a gente acha que deve, estejamos ou não enquadrados no que se convencionou chamar "normal".

O casamento é a instituição mais visada pelas "fórmulas que servem para todos". Na verdade, todos convivem com o casamento desde a infância. Nossos pais são ou foram casados, e por isso acreditamos saber na prática o que funciona e o que não funciona. Só que a prática era deles, não nossa. A gente apenas testemunhou, e bem caladinhos. Ainda assim, a maioria dos noivos diz "sim" diante do padre já com um roteiro esquematizado na cabeça, sabendo exatamente os exemplos que pretende reproduzir de seus pais e os exemplos a evitar. Porém, não tiveram os mesmos pais, e nada é mais diferente do que a família do vizinho. Curto-circuito à vista.

É mais fácil imitar, seguir a onda, fazer de um jeito já testado por muitos e, se não der certo, tudo bem, até reações de angústia e desconsolo podem ser macaqueadas, nossas dores e nossos medos muitas vezes são herdados e a gente nem percebe, amamos e sofremos de um jeito universal. Agir como todo mundo é moleza. Bendito descanso pra cabeça: é uma facilidade terem roteirizado a vida por nós. Mas, cedo ou tarde, a conta vem, e geralmente é salgada.

Fazer do seu jeito - amores, moda, horários, viagens, trabalho, ócio - é uma maneira de ficar em paz consigo mesmo e, de lambuja, firmar sua personalidade, destacar-se da paisagem. Claro que não se deve lutar insanamente contra as convenções só por serem convenções - muitas delas nos servem e, se nos servem, nada há de errado com elas. Estão aí para facilitar nossa vida. Mas se não facilitam, outro jeito há de ter. Um jeito próprio de ser alguém, em vez de simplesmente reproduzir os diversos jeitos coletivos de ser mais um.

(por Martha Medeiros - Jornal O Globo, Fevereiro/2005)

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Este texto é especialmente dedicado às mulheres.

Não me interesso por reis, nem os do baralho.
Mas como me interesso pelo amor e, principalmente, por histórias de amor, não pude evitar o envolvimento diante do final feliz da saga amorosa do príncipe Charles, herdeiro do trono da Inglaterra e daquela senhora de meia-idade, Camila Parker sua eterna namorada.

Trinta e quatro anos de amor!
Trinta e quatro anos de dificuldades de toda ordem, imposições da família real, intrometimentos da igreja, casamentos com pessoas diferentes, cerimônias espetaculares (o casamento com Lady Di foi um dos eventos de maior pompa que o mundo já viu), e o amor dos dois lá, brilhando como a luz do sol.

O romance do feio e desengonçado filho da rainha Elizabeth com a feiosa Camila tinha fortes raízes eróticas, como mostrou o telefonema gravado de um diálogo entre os dois ("eu queria ser um tampax").

Não valeu o tempo, não importaram as rugas e as pelancas.
O mundo inteiro, convertido aos mitos de beleza da juventude, torceu para que ele amasse a formosa Diana.

No entanto, o príncipe desengonçado só amou a sua bruxinha, com aquela cara amassada e cheia de marcas.

Camila Parker é uma vitória do amor sobre os estereótipos de nosso tempo.

Será que "boazudas" do cinema inspirariam um amor igual?
Seguramente, não!

Essa inglesa feia, de 57 anos, mostrou às mulheres, as que não são jovens e as que não são belas...que uma mulher pode ser amada por ela mesma - e para sempre.

A obsessão pelos corpos sarados, pelas formas perfeitas, pelo estilo top-model, foi derrotada por esse obstinado romance.

O romantismo ganhou...
E as mulheres tidas como feias também podem sonhar com seu príncipe. Seja ele príncipe de verdade, ou de fantasia.

Camila Parker, quando subiu ao altar, em cerimônia discreta, deve ter se sentido a mais linda das noivas...
E certamente, à noite, quando mais uma vez se despiu diante dele, o príncipe enxergou, não o corpo de uma senhora, mas o corpo esbelto, juvenil, perfeito que possuem todas as mulheres, de qualquer idade, quando são amadas.

(Texto de Heloneida Studart)

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Enfrentar é preciso

É engraçado: as histórias de grandes conquistas, superações extraordinárias e feitos heróicos às vezes nos oprimem, em vez de nos estimular. Isso porque, lá no fundo, desconfiamos que somos incapazes de realizar coisas difíceis. Um bom herói sempre precisa de confiança, coragem e auto-estima, qualidades raras de serem encontradas no mercado hoje em dia.

Então, por achar que somos muito mais limitados do que realmente somos, e também por certo comodismo, abdicamos de usar recursos ainda não experimentados para enfrentar cara a cara as dificuldades, os riscos e os obstáculos.

Parece ser bem mais fácil jogar a toalha e dar as coisas por perdidas, ou se esquivar delas, como se não existissem. Acontece que as adversidades parecem ter o estranho hábito de sempre nos esperar ali na esquina, especialmente quando fazemos questão de fugir delas. É como diz o caipira, na sua santa sabedoria: “Quanto mais rezo, mais assombração me aparece”.

O especialista em Programação Neurolingüística (PNL) Anderson Andrade afirma: “O pensamento gera hábitos, que promovem atitudes, que provocam ações, que determinam acontecimentos”. Pode-se dizer que a nossa realidade é resultado dos pensamentos dominantes da nossa mente, assim como nossas ações e reações dependem da nossa maneira de ver o mundo.

Forma-se, então, uma cadeia interligada de pensamento-ação- acontecimento. É por isso que, quanto mais rezamos, mais assombração aparece: se temos medo dela, ela está presente em nosso pensamento, gerando nossas ações e promovendo acontecimentos relacionados ao nosso temor. Por isso, se temos pavor das adversidades, se não as enfrentamos como algo normal e natural da vida, elas não vão sumir – pelo contrário.

O melhor a fazer é sempre imaginar que temos uma vida tranqüila e feliz. Assim, quando os obstáculos realmente aparecerem, podemos ser capazes de olhar para eles com um espírito sereno e encará-los como eventualidades que fazem parte da vida. E a dificuldade, que poderia ser vista como uma montanha íngreme, passa a ser uma colina ultrapassável.

(artigo adaptado - de Liane Alves, no site da Revista Vida Simples)

sábado, 25 de dezembro de 2010

Deficiências

Deficiente é aquele que não consegue modificar sua vida,
aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive,
sem ter consciência de que é dono do seu destino.

Louco é quem não procura ser feliz com o que possui.

Cego é aquele que não vê seu próximo morrer de frio,
de fome, de miséria. E só têm olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

Surdo é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um
amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e
quer garantir seus tostões no fim do mês.

Mudo é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

Paralítico é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
Diabético é quem não consegue ser doce.

Anão é quem não sabe deixar o amor crescer.

E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois Miseráveis são todos que não conseguem falar com Deus.

A amizade é um amor que nunca morre.

(por Mário Quintana)

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

FRASES

"Você é o arquiteto do seu próprio destino. Trabalhe, espere e ouse!"
(Ella Wilcox)

"Não deixe que aquilo que você não pode fazer interfira naquilo que você deve fazer."
(John Wooden)

"O que as vitórias têm de mau é que não são definitivas. O que as derrotas têm de bom é que também não são definitivas."
(José Saramago)

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Aprendizado

Eu aprendi...
... que ter uma criança adormecida nos braços é um dos momentos mais pacíficos do mundo;
... que ser gentil é mais importante do que estar certo;
... que eu sempre posso fazer uma prece por alguém quando não tenho a força para ajudá-lo de alguma outra forma;
... que não importa quanta seriedade a vida exija de você, cada um de nós precisa de um amigo brincalhão para se divertir juntos;
... que algumas vezes tudo o que precisamos é de uma mão para segurar e um coração para nos entender;
... que os passeios simples com meu pai em volta do quarteirão nas noites de verão quando eu era criança fizeram maravilhas para mim quando me tornei adulto;

Eu aprendi...
... que deveríamos ser gratos a Deus por não nos dar tudo que lhe pedimos;
... que dinheiro não compra "classe";
...que são os pequenos acontecimentos diários que tornam a vida espetacular;
...que debaixo da "casca grossa" existe uma pessoa que deseja ser apreciada, compreendida e amada;
... que Deus não fez tudo num só dia; o que me faz pensar que eu possa?
... que ignorar os fatos não os altera;

Eu aprendi...
... que quando você planeja se nivelar com alguém, apenas esta permitindo que essa pessoa continue a magoar você;
... que o AMOR, e não o TEMPO, é que cura todas as feridas;
... que a maneira mais fácil para eu crescer como pessoa é me cercar de gente mais inteligente do que eu;
... que cada pessoa que a gente conhece deve ser saudada com um sorriso;
... que ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa;
... que a vida é dura, mas eu sou mais ainda;
... que as oportunidades nunca são perdidas; alguém vai aproveitar as que você perdeu.

Eu aprendi...
... que quando o ancoradouro se torna amargo a felicidade vai aportar em outro lugar;
... que devemos sempre ter palavras doces e gentis, pois amanhã talvez tenhamos que engoli-las;
... que um sorriso é a maneira mais barata de melhorar sua aparência;
... que não posso escolher como me sinto,
mas posso escolher o que fazer a respeito;
... que todos querem viver no topo da montanha, mas toda felicidade e crescimento ocorre quando você esta escalando-a;
... que só se deve dar conselho em duas ocasiões: quando é pedido ou quando é caso de vida ou morte;

Eu aprendi...
... que quanto menos tempo tenho, mais coisas consigo fazer.

Estou aprendendo a cada momento e neste também.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Os ombros suportam o Mundo

Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.
Tempo de absoluta depuração.
Tempo em que não se diz mais: meu amor.
Porque o amor resultou inútil.
E os olhos não choram.
E as mão tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco.
Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.
Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada espera de teus amigos.
Pouco importa que venha a velhice, que é velhice?
Teus ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, achando bárbaro o espetáculo,
prefeririam (os delicados) morrer.
Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação.
(por Carlos Drummond de Andrade, extraído do livro "Sentimento do Mundo")

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Por que os cães não vivem tanto quanto as pessoas?

“Sou veterinário, e fui chamado para examinar um cão da raça Wolfhound Irlandês, chamado Belker.


Os proprietários do animal, Ron, sua esposa Lisa, e seu garotinho Shane, eram todos muito ligados a Belker e esperavam por um milagre.
Examinei Belker e descobri que ele estava morrendo de câncer. Eu disse à família que não haveria milagres no caso de Belker, e me ofereci para proceder a eutanásia para o velho cão em sua casa.



Enquanto fazíamos os arranjos, Ron e Lisa me contaram que estavam pensando se não seria bom deixar que Shane, de quatro anos de idade, observasse o procedimento. Eles achavam que Shane poderia aprender algo da experiência.



No dia seguinte, eu senti o familiar “aperto na garganta” enquanto a família de Belker o rodeava. Shane, o menino, parecia tão calmo, acariciando o velho cão pela última vez, que eu imaginei se ele entendia o que estava se passando.



Dentro de poucos minutos, Belker foi-se, pacificamente. O garotinho parecia aceitar a transição de Belker, sem dificuldade ou confusão.
Nós nos sentamos juntos, um pouco após a morte de Belker, pensando alto sobre o triste fato da vida dos animais serem mais curtas que as dos seres humanos.



Shane, que tinha estado escutando silenciosamente, disse: "Eu sei porque."
Abismados, nós nos voltamos para ele. O que saiu de sua boca, me assombrou. Eu nunca ouvira uma explicação mais reconfortante.
Ele disse: - "As pessoas nascem para que possam aprender a ter uma boa vida, como amar todo mundo todo o tempo e ser bom, certo?"
o garoto de quatro anos continuou...



Bem, cães já nascem sabendo como fazer isto, portanto não precisam ficar por tanto tempo".
A suspeita que transforma o ser humano

O folclore alemão conta a história de um homem que, ao acordar, reparou que seu machado desaparecera. Furioso, acreditando que seu vizinho o tivesse roubado passou o resto do dia a observá-lo.


Viu que o vizinho tinha jeito de ladrão, andava furtivamente como ladrão, sussurrava como um ladrão que deseja esconder seu roubo. Estava tão certo de sua suspeite que resolveu entrar em casa, trocar de roupa e ir até a delegacia dar queixa.


Porém, assim que entrou em casa, encontrou o machado, que sua mulher havia colocado em outro lugar. O homem, então, tornou a sair, examinou de novo o vizinho, e percebeu que ele andava, falava e se comportava honestamente como qualquer outra pessoa.

(texto do livro “Histórias para pais, filhos e netos”)

sábado, 18 de dezembro de 2010

Frases

“Nosso cérebro é o melhor brinquedo já criado: nele se encontram todos os segredos, inclusive os da felicidade.”
(Charles Chaplin)

“Uma garrafa de vinho meio vazia também está meio cheia; mas uma meia mentira não será nunca uma meia verdade”.
(Jean Cocteau)

“Somos o que fazemos, mas somos principalmente, o que fazemos para mudar o que somos”.
(Eduardo Galeano)

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Hostilidade faz mal à saúde!

Está provado: a hostilidade aumenta o nível de colesterol no sangue e torna a pessoa propensa a ataques cardíacos, hipertensão, cansaço, urticária e úlcera; a velha crença de que "colocar a raiva pra fora evita uma úlcera" não é verdadeira...
Em artigo para a revista Nova, de Outubro de 79, a Dra. Ana Maria Rossi, especialista em estresse, afirma: "não adianta recusar feijoada, carne gorda e frituras se você nunca está contente com nada e vive fazendo tempestade em copo d’água; a hostilidade pode causar um aumento de colesterol igual ou superior à dieta rica em gordura”...

Além do mal que faz ao organismo, a hostilidade traz prejuízos psicológicos. Um deles é o mal-estar que provoca nos relacionamentos; todos procuram evitar o contato com pessoas "estouradas" ou, se isso é inevitável, "pisam em ovos" para não arranjar encrenca. Muitas vezes, a própria pessoa se isola, o que aumenta a solidão, a carência, o sentimento de rejeição e... provoca mais hostilidade ainda. É um círculo vicioso. Muito prejuízo para nenhum ganho...

A maneira mais eficaz de mudar a atitude de uma pessoa, mesmo que ela esteja agindo de forma negligente ou com má vontade, é a empatia e paciência... Deixar de lado a hostilidade não significa ser complacente e passivo. Se você não concorda com uma atitude, exponha sua posição, reclame, exija... mas sem raiva, sem hostilidade – só assim você vai obter do outro uma mudança real de atitude para que o problema se resolva.

(texto do Prof. Gretz no livro "Vida com Qualidade")

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Em caso de despressurização...

Não se sinta culpado em pensar em si próprio. Se quer colaborar com o mundo, comece por você

Eu estava dentro do avião, prestes a decolar, e pela milionésima vez escutava a orientação do comandante: "Em caso de despressurização da cabine, máscaras cairão automaticamente a sua frente. Coloque primeiro a sua e só então auxilie quem estiver a seu lado". E a imagem no monitor mostrava justamente isso, uma mãe colocando a máscara no filho pequeno, estando ela já com a dela.

É uma imagem um pouco aflitiva, porque a tendência de todas as mães é primeiro salvar o filho e depois pensar em si mesma. Um instinto natural da fêmea que somos, todas. Mas a orientação dentro dos aviões tem lógica: como poderíamos ajudar quem quer que seja estando desmaiadas, sufocadas, despressurizadas?

Isso vem de encontro a algo que sempre defendi, por mais que pareça egoísmo: se quer colaborar com o mundo, comece por você.

Tem gente à beça fazendo discurso e reclamando em nome dos outros, mas mantém a própria vida desarrumada. Trabalham naquilo que não gostam, não se esforçam para manter uma relação de amor prazerosa, não cuidam da própria saúde, não se interessam por cultura e informação e estão mais propensos a rosnar do que a aprender. Com a cabeça assim minada, vão passar que tipo de tranqüilidade adiante? Que espécie de exemplo? E vão reivindicar o quê?

Quer uma cidade mais limpa, comece pelo seu quarto e seu banheiro. Quer mais justiça social, respeite os direitos da empregada que trabalha na sua casa. Um trânsito menos violento, é simples: avalie como você mesmo dirige. E uma vida melhor para todos? Pô, ajudaria muito colocar um sorriso neste rosto, parar de praguejar, encontrar soluções viáveis para seus problemas, dar uma melhorada em você mesmo. Tudo o que nos acontece é responsabilidade nossa, tanto a parte boa como a parte ruim da nossa história, salvo tragédias pessoais e abandonos sociais. E, mesmo entre os menos afortunados, há os que viram o jogo, ao contrário dos que viram uns chatos.

Antes de falar mal da Caras, pense se você mesmo não anda fazendo muita fofoca. Coloque sua camiseta pró-ecologia, mas antes lembre-se de não jogar lixo na rua e nem de usar o carro desnecessariamente. Uma coisa está relacionada com a outra: você e o universo. Quer salvá-lo? Garanta-se primeiro. Não se sinta culpado em pensar em si próprio. Cuide da sua saúde. Arrume o que é seu. Agora sim, estando quite consigo mesmo, vá em frente e mostre aos outros como se faz.

(texto de Martha Medeiros, publicado no Jornal Zero Hora - 23/setembro/2007)

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Os 7 erros de quem vive reclamando da vida

Situação mais do que comum: alguém reclamando da vida. Do chefe apático, da empresa injusta, dos colegas carreiristas, dos velhos amigos que não são mais os mesmos, da mordida do imposto de renda, dos juros altos... da mulher e dos filhos que gastam demais!
Ufa, a lista é grande; é reclamação que não acaba mais. E, na maioria das vezes, a culpa dos problemas é SEMPRE dos outros; nunca da própria pessoa. Como disse Sartre: "o inferno são os outros".
Então, antes de entrar nesse bloco dos descontentes inveterados, que tal uma auto-análise para perceber se o problema não está em você.
Vamos lá; eis os sete erros que essa turma de descontentes mais comete:
1 – comodismo: por exemplo, o fulano sabe que precisa melhorar seu inglês, mas não enfrenta a questão e estuda pra valer.
2 - medo de mudanças: a pessoa não gosta do emprego que tem, mas o encara como se fosse a única alternativa para sua vida e morre de medo de perdê-lo. Sabe que deveria ter um "plano B", mas não faz nada para construí-lo.
3 - prepotência: não admite a estagnação e que seu desempenho não acompanha as exigências atuais do mercado; exige aumento de salário e acha que é bom funcionário só porque cumpre horário e faz exclusivamente o que lhe pedem.
4 – transfere culpa: ou seja, reclama de quase tudo e não assume responsabilidade sobre as situações. Não cuida de si e da sua evolução.
5 – falta de planejamento: não tem planos para o futuro; imagina apenas que, daqui há um ano, tudo será como é hoje. Sua preocupação se limita ao presente; faz planos, mas não define prioridades nem metas.
6 – desperdício de tempo: deixa de fazer o que deseja com a desculpa de que o dia é curto demais. Ou seja, empurra a vida com a barriga por total falta de organização e foco.
7 – trabalha sem paixão: aí está a origem de toda a insatisfação.
Sem paixão, o trabalho vira apenas rotina e não algo realizador. Quantas pessoas você conhece que trabalham, trabalham e não saem do lugar? Quanta gente passa anos na mesma empresa e no mesmo cargo, só cumprindo o expediente de forma burocrática e sem paixão? Quantos empreendedores perdem a capacidade de inovar por se contentar com o que já conquistaram? Aí está a legião dos descontentes... Você não vai querer entrar nesse time, vai?
Então, comece desde já a planejar a sua vida. Mas saiba que planejar significa estipular objetivos e correlacioná-los de tal forma que seja, de fato, possível e viável alcançá-los. Planejar é saber transformar o sonho em realidade. Se não for assim, não é planejamento, é só desejo.
(por Luiz Fernando Garcia – Gente que faz – ed. Gente)

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Fale, não represente

Quando uma pessoa expressa seus sentimentos com palavras, em vez de ações, reduz as chances de ser mal interpretada e leva o parceiro a reagir receptivamente. Fechar-se em silêncio, ou pisar duro e bater portas, são atitudes que mostram a existência de um problema e que os parceiros não expressam convenientemente seus sentimentos. Quando uma pessoa se sente magoada, triste ou zangada, seu primeiro impulso pode ser o de expressar seu estado emocional com atitudes, ao invés de usar as palavras. Dramatizar a mágoa, a tristeza ou a raiva pode ser preferível à repressão das emoções, mas os seres humanos têm a capacidade de falar – o que é sempre uma opção melhor.

Quando dizemos “eu me sinto”, dando nome à emoção e explicando o seu motivo, abrimos caminho para a solução do problema... Além disso, colocar os sentimentos em palavras permite expressar a sua intensidade... Expressar sentimentos ruins verbalmente demonstra tanto a coragem da pessoa que fala como a confiança que é depositada naquela que ouve. É preciso ter coragem para mostrar fragilidade, para falar a outra pessoa a respeito de momentos que provocaram mágoa, perturbação ou que representaram um insulto.

Mas, falar não significa “explodir” de raiva... quanto mais emocionalmente intensa for a linguagem, mais intensa será a reação do outro. E quanto mais os dois se inflamarem, mais aumentará a probabilidade de tomarem posições opostas... Por isso, preste atenção às palavras que usa para descrever seus sentimentos negativos e, principalmente, ao modo como fala – esses são os pontos chave para o outro reagir de maneira construtiva.

(texto de Susan Heitler, do livro “A arte do relacionamento”)

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Honra também se ensina

É comum, em nossos dias, ouvirmos reclamações por parte de pessoas que se sentiram desrespeitadas em seus direitos.


É o médico que marca uma hora com o paciente e o deixa esperando por longo tempo, sem dar satisfação.

É o advogado que assume uma causa e depois não lhe dá o encaminhamento necessário, deixando o cliente em situação difícil.

É o contador que se compromete perante a empresa em providenciar todos os documentos exigidos por lei e, passados alguns meses, a empresa é autuada por irregularidades que este diz desconhecer.

É o engenheiro que toma a responsabilidade de uma obra, que mais tarde começa a ruir, sem que este assuma a parte que lhe diz respeito.

É o político que promete mundos e fundos e, depois de eleito, ignora a palavra empenhada juntos aos seus eleitores.

Esses e outros tantos casos acontecem com freqüência nos dias atuais.

É natural que as pessoas envolvidas em tais situações, exponham a sua indignação junto à sociedade, e reclamem os seus direitos perante a justiça. Todavia, vale a pena refletirmos um pouco sobre a origem dessa falta de honradez por parte de alguns cidadãos.

Temos de convir que todos eles passaram pela infância e, em tese, podemos dizer que não receberam as primeiras lições de honra como deveriam.

Quando os filhos são pequenos, muitas vezes não se dá a devida atenção às suas más inclinações ou, o que é pior, incentiva-se com o próprio exemplo.

Se o filho desrespeita os horários estabelecidos, não costuma-se cobrar dele uma mudança de comportamento. Se prometem alguma coisa e não cumprem, não é falado sobre a importância da palavra de honra.

Assim, a palavra empenhada não é cumprida, e geralmente não se faz nada para que seja.

Ademais, há pais que são os próprios exemplos de desonra. Prometem e não cumprem. Dizem que vão fazer e não fazem. Falam, mas a sua palavra não tem o peso que deveria.

É importante pensar a respeito das causas antes de reclamar dos efeitos.
É imprescindível passar aos filhos lições de honradez. Ensinar aos meninos que as irmãs dos outros devem ser respeitadas tanto quando suas próprias irmãs. Que a palavra sempre deve ser honrada por aquele que a empenha.

Ensinar o respeito aos semelhantes, não os fazendo esperar horas e horas para só depois atender como que estivéssemos fazendo um grande favor.


Não há efeito sem causa. Todo efeito negativo tem uma causa igualmente negativa.

Por essa razão, antes de reclamar dos efeitos, pense se não está contribuindo com as causas, direta ou indiretamente.

(autor desconhecido)

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Frases

“Nós nos julgamos pelo que propomos. Os outros nos julgam pelo que fazemos.”
(Henry Longfellow)


“Felizes as pessoas que têm o dom de descobrir o lado luminoso de todas as coisas.”
(P. Faber)


“Aos conselhos do mar e da ambição, devemos fechar os ouvidos.”
(Jean de la Fontaine)

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Procura-se um amigo

Não precisa ser homem, basta ser humano, basta ter sentimentos, basta ter coração.

Precisa saber falar e calar, sobretudo saber ouvir. Tem que gostar de poesia, de madrugada, de pássaro, de sol, da lua, do canto, dos ventos e das canções da brisa. Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então sentir falta de não ter esse amor.. Deve amar o próximo e respeitar a dor que os passantes levam consigo. Deve guardar segredo sem se sacrificar.

Não é preciso que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão. Pode já ter sido enganado, pois todos os amigos são enganados. Não é preciso que seja puro, nem que seja todo impuro, mas não deve ser vulgar. Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim não ser, deve sentir o grande vácuo que isso deixa. Tem que ter ressonâncias humanas, seu principal objetivo deve ser o de amigo. Deve sentir pena das pessoa tristes e compreender o imenso vazio dos solitários. Deve gostar de crianças e lastimar as que não puderam nascer.

Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova, quando chamado de amigo. Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de grandes chuvas e das recordações de infância. Precisa-se de um amigo para não se enlouquecer, para contar o que se viu de belo e triste durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade. Deve gostar de ruas desertas, de poças de água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim.

Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo. Precisa-se de um amigo para se parar de chorar. Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas. Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive.

(Vinícius de Moraes)

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Um amigo pode...

Eu não posso acabar com todos os seus problemas, dúvidas ou medos, mas posso ouvir você e juntos podemos procurar soluções.
Não posso apagar as mágoas e as dores do seu passado nem posso decidir qual será o seu futuro, mas no presente posso estar com você se precisar de mim.
Não posso impedir que você leve tombos, mas posso oferecer minha mão para você se levantar.
Suas alegrias, triunfos, sucessos e felicidades não me pertencem, mas seus risos e sorrisos fazem parte dos meus maiores bens.
Não é da minha alçada tomar decisões por você, nem posso julgar as decisões que você toma, mas eu posso apoiar, encorajar e ajudar se me pedir.
Eu não posso traçar ou impor limites, mas posso apontar caminhos alternativos, procurar com você medidas de crescimento, formas de encontrar meios de ser você mesmo sem medo da rejeição.
Eu não posso salvar o seu coração de ser partido pela dor, pela mágoa, perda ou tristeza, mas posso chorar com você e ajudar a juntar os pedaços.
Não posso dizer quem você é ou como deveria ser: eu só posso amar você e ser seu amigo!
(autor desconhecido)

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Dar

Se você quer alguma coisa, dê-a! Não parece um despropósito? É mais fácil conseguir o que se quer abrindo mão de parte do que já se tem. Quando um agricultor quer mais sementes, pegas as que têm e as entrega à terra. Quando você que um sorriso, oferece o seu. Quando quer afeto, dá afeto. Quando ajuda as pessoas, elas o ajudam. E quando quer um beijo na boca? Beija a boca de alguém. E se quiser que as pessoas lhe dêem dinheiro? Dê um pouco do seu. Pense nisso. Se a fixação, o apego excessivo, impede o fluxo de coisas boas para a sua vida, talvez a atitude oposta seja o desprendimento: o de entregarmos uma coisa que valorizamos muito. O que você dá tende a voltar a suas mãos...

Quantas vezes a gente ouve esse tipo de história... “um velho miserável e pão-duro, que praticamente passava fome, morreu com um milhão de dólares debaixo do colchão?”. Aí vem a pergunta: “Se é preciso dar para receber, o que aconteceu neste caso?”

Aí eu respondo: seu saldo bancário não é a medida de sua abundância. Abundância é aquilo que circula em sua vida. A prosperidade é um fluxo: dar e receber. Se você tem uma fortuna depositada na Suíça e não a usa, esse dinheiro não o está enriquecendo. Tecnicamente é seu, mas na realidade você não “recebe” nada dele. Esse dinheiro não o torna abundante e podia muito bem pertencer a outra pessoa. Portanto, o princípio de dar e receber continua valendo mesmo assim.

Em poucas palavras: o macete consiste em dar sem querer nada em troca. Se você espera um retorno, está fixado no resultado – e quando nos fixamos no que quer que seja, pouca coisa acontece. E não devemos gozar das nossas posses pessoais? Claro que sim! Basta Ter certeza de que é você que as possui, e não elas a você.
(texto de Andrew Matthews, do livro “Siga seu coração”)

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Saúde

É claro que saúde advém de certos cuidados mínimos que você tem que ter com o seu corpo, assim como dormir bem e saber escolher os alimentos que você vai colocar no sagrado interior de seu organismo. Tem muito a ver também, com o movimento adequado, um corpo sem movimento é fadado á doença mais cedo ou mais tarde, mas no fundo mesmo ela é fruto da constante alegria de viver!



Você estando alegre, tolerante e feliz a saúde o acompanha, mas se você se fizer triste, magoado ou rancoroso ela o abandona. Desta forma a maneira decidida como você atua em sua mente colocando-a a seu favor diante da vida, concorre de forma decisiva e vigorosa para colocar sua saúde em um patamar distante da possibilidade de ficar doente. A sua saúde esta sempre a depender da química que você desenvolve através de sua alegria e felicidade ou de sua tristeza e magoa.



Você se ajudar significa tão somente não pensar nada contra você mesmo, controlar suas emoções negativas e corrosivas, ser otimista e confiante, deixando que a vida, pela força natural e poderosa do universo o leve invariavelmente ao sucesso e a saúde, decorrências absolutamente naturais do próprio decorrer da vida. Se você não interferir neste mecanismo extraordinário com tantos pensamentos negativos e preocupações absolutamente desnecessária a vida ocorre de forma absolutamente normal dentro de seus padrões de absoluta naturalidade, nada mais!

(por Nuno Cobra)

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O Ateu

Um ateu estava passeando em um bosque, admirando tudo o que aquele "acidente da evolução" havia criado. "Mas que árvores majestosas! Que poderosos rios! Que belos animais!", lá ia ele dizendo consigo próprio.

À medida que caminhava, ao longo do rio, ouvia um ruído nos arbustos atrás de si. Ele virou-se para olhar. Foi então que viu um corpulento urso-pardo caminhando na sua direção. Ele disparou a correr o mais rápido que podia. Olhou por cima do ombro e reparou que o urso estava demasiado próximo. Ele aumentou mais a velocidade. Era tanto o seu medo que lágrimas lhe vieram aos olhos.

Foi, então, que tropeçou e caiu desamparado. Rolou no chão rapidamente e tentou levantar-se. Só que o urso já estava em cima dele, procurando pegá-lo com a sua forte pata esquerda e, com a outra pata, tentando agredi-lo ferozmente.

Nesse preciso momento, o ateu clamou: "Oh meu Deus!". Então o tempo parou. O urso ficou sem reação. O bosque mergulhou em silêncio. Até o rio parou de correr.

À medida que uma luz clara brilhava, uma voz vinda do céu dizia: "Tu negaste a minha existência durante todos estes anos, ensinaste a outros que eu não existia, e reduziste a criação a um acidente cósmico. Esperas que eu te ajude a sair desse apuro? Devo eu esperar que tenhas fé em mim?"

O ateu olhou diretamente para a luz e disse: "Seria hipócrita da minha parte pedir que, de repente, me passes a tratar como um cristão, mas, talvez, possas tornar o urso um cristão?!"

"Muito bem", disse a voz. A luz foi embora. O rio voltou a correr. E os sons da floresta voltaram. E, então, o urso recolheu as patas, fez uma pausa, abaixou a cabeça e falou: "Senhor, abençoe este alimento que agora vou comer. Amém".

(Autor desconhecido)

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Frases

“É necessário tentar sempre ultrapassar a si mesmo; essa ocupação deve durar tanto quanto a própria vida.”
(Cristina, rainha da Suécia)

“Quanto mais tempo discutimos, mais longe nos achamos do fim da discussão.”
(Samuel Butler)

“Quando a paixão entra pela porta principal, a sensatez foge pela porta dos fundos.”
(Thomas Fuller)

sábado, 6 de novembro de 2010

"Eu te Amo" não diz tudo

O cara diz que te ama, então tá! Ele te ama.
Sua mulher/namorada diz que te ama, então assunto encerrado.
Você sabe que é amado porque lhe disseram isso,as três palavrinhas mágicas.

Mas ouvir que é amado é uma coisa,sentir-se amado é outra, uma diferença de quilômetros.
A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e palavras, precisa de lealdade, sinceridade, fidelidade...

Sentir-se amado, é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida, que zela pela sua felicidade,que se preocupa quando as coisas não estão dando certo, que coloca-se a postos para ouvir suas dúvidas e que dá uma sacudida em você quando for preciso.

Sentir-se amado é ver que ela lembra de coisas que você contou há dois anos atrás, é vê-la tentar reconciliar você com seu pai, é ver como ela fica triste quando você está triste e como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d'água.
Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão....
Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente inteiro.
Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que tudo pode ser dito e compreendido.

Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo.

Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; quem não levanta a voz, mas fala; quem não concorda, mas escuta.

Agora, sente-se e escute: Eu te amo não diz tudo!

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

A lógica de Einstein

Duas crianças estavam patinando num lago congelado da Alemanha. Era uma tarde nublada e fria, e as crianças brincavam despreocupadas.

De repente, o gelo se quebrou e uma delas caiu, ficando presa na fenda que se formou. A outra, vendo seu amiguinho preso e se congelando, tirou um dos patins e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo por fim quebrá-lo e libertar o amigo.

Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino:
- Como você conseguiu fazer isso? É impossível que tenha conseguido quebrar o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis!

Nesse instante, o gênio Albert Einstein que passava pelo local, comentou:
- Eu sei como ele conseguiu.

Todos perguntaram:
- Pode nos dizer como?
- É simples, respondeu o Einstein. Não havia ninguém ao seu redor, para lhe dizer que não seria capaz.

”Fazer ou não fazer algo, só depende de nossa vontade e perseverança”.

(Albert Einstein)

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

A Fábula da Verdade

Uma tarde, muito desconsolada e triste, a verdade encontrou a Parábola, que passeava alegremente, num traje belo e muito colorido.

- Verdade, porque estás tão abatida?
- perguntou a Parábola.
- Porque devo ser muito feia já que os homens
me evitam tanto!
- Que disparate! - riu a Parábola - não é por isso
que os homens te evitam.Toma, veste algumas das
minhas roupas e vê o que acontece.

Então a Verdade pôs algumas das lindas vestes da Parábola e, de repente, por toda à parte onde passava era bem vinda.
- Pois os homens não gostam de encarar a
Verdade nua; eles a preferem disfarçada."

(Conto Judaico)

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Lição de vida

Um belo dia de sol, Sr. Mário, um velho caminhoneiro chega em casa todo orgulhoso e chama a sua esposa para ver o lindo caminhão que comprara
depois de longos e árduos 20 anos de trabalho. Era o primeiro que conseguia comprar depois de tantos anos de sufoco e estrada.

A partir daquele dia, finalmente seria seu próprio patrão. Ao chegar à porta de casa, encontra seu filhinho de seis anos, martelando alegremente a lataria do reluzente caminhão. Irado e aos berros pergunta o que o filho estava fazendo e, sem hesitar, completamente fora de si, martela impiedosamente as mãos do garoto, que se põe a chorar desesperadamente sem entender o que estava acontecendo.

A mulher do caminhoneiro corre em socorro do filho, mas pouco pôde fazer.
Chorando junto ao filho, consegue trazer o marido à realidade, e juntos levam o garoto ao hospital para cuidar dos ferimentos provocados.

Passadas várias horas de cirurgia, o médico desconsolado e bastante abatido,
chama os pais e informa que as dilacerações foram de tão grande extensão, que todos os dedos da criança tiveram que ser amputados. Porém, o menino era forte e resistia bem ao ato cirúrgico, devendo os pais aguardá-lo no quarto.

Ao acordar, o menino ainda sonolento esboçou um sorriso e disse ao pai:
-Papai, me desculpe. Eu só queria consertar seu caminhão, como você me ensinou outro dia. Não fique bravo comigo.

O pai, enternecido e profundamente arrependido, deu um forte abraço no filho e disse que aquilo não tinha mais importância. Não estava bravo e sim arrependido de ter sido tão duro com ele e que a lataria do caminhão não tinha estragado.

Então o garoto com os olhos radiantes perguntou:
- Quer dizer que não está mais bravo comigo?
- É claro que não! – respondeu o pai.
Ao que o menino pergunta:
- Se estou perdoado papai, quando meus dedinhos vão nascer de novo?

Nos momentos de raiva cega, machucamos as pessoas que mais amamos, e muitas vezes não podemos “sarar” a ferida que deixamos. Nos momentos de raiva, tente parar e pensar em suas atitudes, a fim de evitar que os danos sejam irreversíveis.

Não há nada pior que o arrependimento e a culpa.

Pense nisto!

(autor desconhecido)

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Presente Divino

Você cedeu, e recuou até um ponto em que não é possível recuar mais, sob pena de se tornar pessoa sem vontade própria, desprovida de personalidade. Sua única confidente é sua consciência, ou o que resta dela. Ao mesmo tempo ela é sua única e derradeira amiga. Você procura pelo mundo pessoas que emitam sinais semelhantes àquilo que você quis ser um dia. Alguém que você quis, mas não se deixou ser. Uma pessoa interrompida...

Dentre as várias simplicidades da vida resta sempre a alternativa de buscar saídas - não importa quais, nem onde -, numa luta tardia em busca do tempo perdido.

Passamos a vida a perseguir a nós mesmos, e demoramos para realizar essa aparente dicotomia: somos ao mesmo tempo nosso maior herói e nosso próprio vilão. Um herói que gostaríamos e poderíamos ser, mas que não conseguimos por conta de nossos defeitos. Um vilão que carregamos dentro de nós e que concentra o que mais desgostamos, que boicota nossos sonhos, castra nossos desejos e nos enche de medos e inseguranças...

Quando nesse faroeste doméstico o vilão leva a melhor e toma conta das principais cenas de nossa vida, resta-nos sempre algumas saídas possíveis. Lutar por elas não é gesto de desespero, mas de esperança; um gesto de crença, não apenas em nós, mas na vida.

Conta uma velha história infantil que a fábrica celestial, por norma de segurança, decidiu distribuir cópias das chaves de todos os corações humanos. Eu, como você, carrego algumas dessas chaves comigo, mas só descubro a quem pertencem e como devo proceder no momento certo. Reparei que a situação inversa já me aconteceu: quando precisei, algumas pessoas surgiram como por encanto e abriram meu coração, curando-me da angústia e da melancolia.

Talvez você carregue a minha chave, ou eu a sua. Talvez nós as estejamos usando agora, coisa que só descobriremos mais tarde. Não importa. Estamos vivos e queremos ser felizes.

O surpreendente é que a vida guarda para cada um de nós um presente divino, reservado para aqueles momentos de maior tristeza e solidão. Alguém surge como num passe de mágica e, sem nenhum esforço, abre as portas e janelas de nosso coração

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Verdadeiro amor

Um homem de idade já bem avançada veio à Clínica onde trabalho, para fazer um curativo na mão ferida. Estava apressado, dizendo-se atrasado para um compromisso, e enquanto o tratava perguntei-lhe sobre qual o motivo da pressa.

Disse que precisava ir a um asilo de anciãos para, como sempre, tomar o café da manhã com sua mulher que estava internada lá:
- “Ela já está há algum tempo nesse lugar porque tem um Alzheimer bastante avançado”, disse ele.

Enquanto acabava de fazer o curativo, perguntei-lhe se ela não se alarmaria pelo fato de ele estar chegando mais tarde.
- “Não” - ele disse. “Ela já não sabe quem eu sou. Faz quase cinco anos que não me reconhece”.

Estranhando, lhe perguntei:
- “Mas se ela já não sabe quem o senhor é, porque essa necessidade de estar com ela todas as manhãs”?

Ele sorriu e dando-me uma palmadinha na mão,
disse :
- “É . Ela não sabe quem eu sou, mas eu contudo sei muito bem quem é ela”.

O verdadeiro amor não se reduz ao físico nem ao romântico. O verdadeiro amor é a aceitação de tudo o que o outro é, do que foi, do que será e... do que já não é..."

(autor desconhecido)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Frases

“Você é o arquiteto do seu próprio destino. Trabalhe, espere e ouse!”
(Ella W. Wilcox)

“Não merece o doce quem não experimentou o amargo.”
(Erasmo de Roterdam)


“Dois homens olham através das mesmas barras: um vê as barras; o outro, as estrelas.”
(Frederick Langbridge)

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Enfrentar é preciso

É engraçado: as histórias de grandes conquistas, superações extraordinárias e feitos heróicos às vezes nos oprimem, em vez de nos estimular. Isso porque, lá no fundo, desconfiamos que somos incapazes de realizar coisas difíceis. Um bom herói sempre precisa de confiança, coragem e auto-estima, qualidades raras de serem encontradas no mercado hoje em dia.

Então, por achar que somos muito mais limitados do que realmente somos, e também por certo comodismo, abdicamos de usar recursos ainda não experimentados para enfrentar cara a cara as dificuldades, os riscos e os obstáculos.

Parece ser bem mais fácil jogar a toalha e dar as coisas por perdidas, ou se esquivar delas, como se não existissem. Acontece que as adversidades parecem ter o estranho hábito de sempre nos esperar ali na esquina, especialmente quando fazemos questão de fugir delas. É como diz o caipira, na sua santa sabedoria: “Quanto mais rezo, mais assombração me aparece”.

O especialista em Programação Neurolingüística (PNL) Anderson Andrade afirma: “O pensamento gera hábitos, que promovem atitudes, que provocam ações, que determinam acontecimentos”. Pode-se dizer que a nossa realidade é resultado dos pensamentos dominantes da nossa mente, assim como nossas ações e reações dependem da nossa maneira de ver o mundo.

Forma-se, então, uma cadeia interligada de pensamento-ação- acontecimento. É por isso que, quanto mais rezamos, mais assombração aparece: se temos medo dela, ela está presente em nosso pensamento, gerando nossas ações e promovendo acontecimentos relacionados ao nosso temor. Por isso, se temos pavor das adversidades, se não as enfrentamos como algo normal e natural da vida, elas não vão sumir – pelo contrário.

O melhor a fazer é sempre imaginar que temos uma vida tranqüila e feliz. Assim, quando os obstáculos realmente aparecerem, podemos ser capazes de olhar para eles com um espírito sereno e encará-los como eventualidades que fazem parte da vida. E a dificuldade, que poderia ser vista como uma montanha íngreme, passa a ser uma colina ultrapassável.

(artigo adaptado - de Liane Alves, no site da Revista Vida Simples)

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Pra Quebrar a Rotina

APENAS A LÍNGUA PORTUGUESA NOS PERMITE ESCREVER ISTO...
Pedro Paulo Pereira Pinto, pequeno pintor português, pintava portas, paredes, portais. Porém, pediu para parar porque preferiu pintar panfletos. Partindo para Piracicaba, pintou prateleiras para poder progredir. Posteriormente, partiu para Pirapora. Pernoitando, prosseguiu para Paranavaí, pois pretendia praticar pinturas para pessoas pobres. Porém, pouco praticou, porque Padre Paulo pediu para pintar panelas, porém posteriormente pintou pratos para poder pagar promessas. Pálido, porém personalizado, preferiu partir para Portugal para pedir permissão para papai para permanecer praticando pinturas, preferindo, portanto, Paris. Partindo para Paris, passou pelos Pirineus, pois pretendia pintá-los. Pareciam plácidos, porém, pesaroso, percebeu penhascos pedregosos, preferindo pintá-los parcialmente, pois perigosas pedras pareciam precipitar-se principalmente pelo Pico, porque pastores passavam pelas picadas para pedirem pousada, provocando provavelmente pequenas perfurações, pois, pelo passo percorriam, permanentemente, possantes potrancas. Pisando Paris, permissão para pintar palácios pomposos, procurando pontos pitorescos, pois, para pintar pobreza, precisaria percorrer pontos perigosos, pestilentos, perniciosos, preferindo Pedro Paulo precaver-se. Por profundas privações passou Pedro Paulo. Pensava poder prosseguir pintando, porém, pretas previsões passavam pelo pensamento, provocando profundos pesares, principalmente por pretender partir prontamente para Portugal. Povo previdente! Pensava Pedro Paulo... Preciso partir para Portugal porque pedem para prestigiar patrícios, pintando principais portos portugueses.
- Paris! Paris! Proferiu Pedro Paulo. - Parto, porém penso pintá-la permanentemente, pois pretendo progredir. Pisando Portugal, Pedro Paulo procurou pelos pais, porém, Papai Procópio partira para Província. Pedindo provisões, partiu prontamente, pois precisava pedir permissão para Papai Procópio para prosseguir praticando pinturas. Profundamente pálido, perfez percurso percorrido pelo pai. Pedindo permissão, penetrou pelo portão principal. Porém, Papai Procópio puxando-o pelo pescoço proferiu: Pediste permissão para praticar pintura, porém, praticando, pintas pior. Primo Pinduca pintou perfeitamente prima Petúnia. Porque pintas porcarias?
- Papai, proferiu Pedro Paulo, pinto porque permitiste, porém, preferindo, poderei procurar profissão própria para poder provar perseverança, pois pretendo permanecer por Portugal. Pegando Pedro Paulo pelo pulso, penetrou pelo patamar, procurando pelos pertences, partiu prontamente, pois pretendia pôr Pedro Paulo para praticar profissão perfeita: pedreiro! Passando pela ponte precisaram pescar para poderem prosseguir peregrinando.
Primeiro, pegaram peixes pequenos, porém, passando pouco prazo, pegaram pacus, piaparas, pirarucus. Partindo pela picada próxima, pois pretendiam pernoitar pertinho, para procurar primo Péricles primeiro. Pisando por pedras pontudas, Papai Procópio procurou Péricles, primo próximo, pedreiro profissional perfeito. Poucas palavras proferiram, porém prometeu pagar pequena parcela para Péricles profissionalizar Pedro Paulo. Primeiramente Pedro Paulo pegava pedras, porém, Péricles pediu-lhe para pintar prédios, pois precisava pagar pintores práticos. Particularmente Pedro Paulo preferia pintar prédios. Pereceu pintando prédios para Péricles, pois precipitou-se pelas paredes pintadas. Pobre Pedro Paulo, pereceu pintando... permita-me, pois, pedir perdão pela paciência, pois pretendo parar para pensar... Para parar preciso pensar. Pensei. Portanto, pronto pararei.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Fale, não represente

Quando uma pessoa expressa seus sentimentos com palavras, em vez de ações, reduz as chances de ser mal interpretada e leva o parceiro a reagir receptivamente. Fechar-se em silêncio, ou pisar duro e bater portas, são atitudes que mostram a existência de um problema e que os parceiros não expressam convenientemente seus sentimentos. Quando uma pessoa se sente magoada, triste ou zangada, seu primeiro impulso pode ser o de expressar seu estado emocional com atitudes, ao invés de usar as palavras. Dramatizar a mágoa, a tristeza ou a raiva pode ser preferível à repressão das emoções, mas os seres humanos têm a capacidade de falar – o que é sempre uma opção melhor.

Quando dizemos “eu me sinto”, dando nome à emoção e explicando o seu motivo, abrimos caminho para a solução do problema... Além disso, colocar os sentimentos em palavras permite expressar a sua intensidade... Expressar sentimentos ruins verbalmente demonstra tanto a coragem da pessoa que fala como a confiança que é depositada naquela que ouve. É preciso ter coragem para mostrar fragilidade, para falar a outra pessoa a respeito de momentos que provocaram mágoa, perturbação ou que representaram um insulto.

Mas, falar não significa “explodir” de raiva... quanto mais emocionalmente intensa for a linguagem, mais intensa será a reação do outro. E quanto mais os dois se inflamarem, mais aumentará a probabilidade de tomarem posições opostas... Por isso, preste atenção às palavras que usa para descrever seus sentimentos negativos e, principalmente, ao modo como fala – esses são os pontos chave para o outro reagir de maneira construtiva.


(texto de Susan Heitler, do livro “A arte do relacionamento”)

domingo, 10 de outubro de 2010

Você é...

Você é os brinquedos que brincou, as gírias que usava, você é os nervos a flor da pele no vestibular, os segredos que guardou, você é sua praia preferida, Garopaba, Maresias, Ipanema, você é o renascido depois do acidente que escapou, aquele amor atordoado que viveu, a conversa séria que teve um dia com seu pai, você é o que você lembra.
Você é a saudade que sente da sua mãe, o sonho desfeito quase no altar, a infância que você recorda, a dor de não ter dado certo, de não ter falado na hora, você é aquilo que foi amputado no passado, a emoção de um trecho de livro, a cena de rua que lhe arrancou lágrimas, você é o que você chora.
Você é o abraço inesperado, a força dada para o amigo que precisa, você é o pelo do braço que eriça, a sensibilidade que grita, o carinho que permuta, você é as palavras ditas para ajudar, os gritos destrancados da garganta, os pedaços que junta, você é o orgasmo, a gargalhada, o beijo, você é o que você desnuda.
Você é a raiva de não ter alcançado, a impotência de não conseguir mudar, você é o desprezo pelo o que os outros mentem, o desapontamento com o governo, o ódio que tudo isso dá, você é aquele que rema, que cansado não desiste, você é a indignação com o lixo jogado do carro, a ardência da revolta, você é o que você queima.
Você é aquilo que reinvidica, o que consegue gerar através da sua verdade e da sua luta, você é os direitos que tem, os deveres que se obriga, você é a estrada por onde corre atrás, serpenteia, atalha, busca, você é o que você pleiteia.
Você não é só o que come e o que veste. Você é o que você requer, recruta, rabisca, traga, goza e lê. Você é o que ninguém vê.
(por Martha Medeiros)

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Frases

“Não há nada no mundo totalmente perfeito.”
(Horácio)

“O sapato que serve a um aperta o outro; não há uma receita de vida que se preste a todos os casos.”
(Carl Jung)


“O único meio de fortalecer o intelecto é não ter uma opinião rígida sobre nada ¬ deixar a mente ser uma estrada aberta a todos os pensamentos".
(John Keats)

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

É preciso...

É preciso escovar os dentes
É preciso ter bom sono
É preciso sonhar
É preciso ter bom humor
É preciso trabalhar
É preciso viver bem
É preciso ser educado
É preciso ter amigos
É preciso respirar
É preciso ter boa saúde
É preciso ganhar dinheiro o suficiente
É preciso amar
É preciso presentear
É preciso voltar pra casa
É preciso dormir
É preciso começar e recomeçar

Mas, acima de tudo,
É preciso dizer a alguém o quanto alguém é importante pra você.


(Autor desconhecido)

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Morre Lentamente...

Morre lentamente quem não viaja quem não lê quem não ouve musica, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destrói o seu amor próprio, quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajeto, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor, ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco, e os pontos sobre os ISS em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho nos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva que cai incessante

Morre lentamente quem abandona um projeto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não respondem quando lhe indagam sobre algo
que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar.

SOMENTE A PERSEVERANÇA FARÁ COM QUE CONQUISTEMOS UM ESTÁGIO ESPLENDIDO DE FELICIDADE.

Pablo Neruda

terça-feira, 5 de outubro de 2010

A GENTE SE ACOSTUMA

Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia.

A gente se acostuma a morar em apartamento de fundos e não ver vista que não sejam as janelas ao redor. E porque não tem vista logo se acostuma a não olhar para fora. E porque não olha para fora, logo se acostuma e não abrir de todo as cortinas. E porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E, à medida que se acostuma, se esquece do sol, se esquece do ar, esquece da amplidão.

A gente se acostuma a acordar sobressaltado porque está na hora. A tomar café correndo porque está atrasado. A ler o jornal no ônibus porque não pode perder tempo. A comer sanduíche porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.
A gente se acostuma a abrir o jornal e a ler sobre a guerra. E aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz. E não aceitando as negociações de paz, aceitar ler todo dia de guerra, dos números, da longa duração.
A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: “hoje não posso ir”. A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisa tanto ser visto.
A gente se acostuma a pagar por tudo o que se deseja e necessita. E a lutar para ganhar com que pagar. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E, a saber, que cada vez pagará mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra.
A gente se acostuma a andar nas ruas e ver cartazes. A abrir as revistas e ler artigos. A ligar a televisão e assistir comerciais. A ir ao cinema e engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos.
A gente se acostuma à poluição, às salas fechadas de ar condicionado e ao cheiro de cigarros. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam à luz natural. Às bactérias de água potável. À contaminação da água do mar. À morte lenta dos rios. Se acostuma a não ouvir passarinhos, a não ter galo de madrugada, a não colher fruta no pé, a não ter sequer uma planta por perto.
A gente se acostuma a coisas demais para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta lá.
Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, a gente só molha os pés e sua o resto do corpo. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito que fazer, a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem muito sono atrasado.
A gente se acostuma a não falar na aspereza para preservar a pele. Se acostuma para evitar sangramentos, para esquivar-se da faca e da baioneta, para poupar o peito.
A gente se acostuma para poupar a vida.
Que aos poucos se gasta, e que, de tanto acostumar, se perde de si mesma.

Marina Colassanti

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Frases

“Todo dia é um bom dia.”
(Yun-Men)

“Muito estudo não ensina compreensão.”
(Heráclito)

“A maior de todas as maravilhas não é conquistar o mundo, mas dominar a si mesmo.”
(Arthur Schopenhauer)

sábado, 2 de outubro de 2010

Ser

(enviado por Silvia B. Acosta – São Paulo/SP)

Ser sensível é possuir alma de criança, é acreditar...
É se emocionar ao ouvir o barulho do mar... É conversar com os animais...
É sentir a pureza de uma rosa e se envolver no seu perfume...
É ouvir o cantar dos pássaros e se transportar ao sonho...
É admirar a liberdade das borboletas, seu colorido e a suavidade de seu toque nas flores...
É ouvir o sussurro do vento falando de amor aos seus ouvidos... É perceber
na musicalidade da chuva, o sentido da vida...
É ver a tempestade, seus raios, trovões e vendavais, impondo limites à humanidade...
É entender que as negras nuvens passam, e logo ao amanhecer, nasce o Sol com
seus raios multicoloridos nos mostrando que VALE A PENA VIVER!!!

(Lia Luft)

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Não vou ver as competições...

Ensinou no Departamento de Educação Física da Unicamp um professor português que tinha uma tese curiosíssima sobre o atletismo. Ele dizia que o atletismo faz mal à saúde. Para provar seu ponto, perguntava: "Você conhece um atleta longevo? Quem vive muito são aquelas velhinhas sedentárias que tomam chá com bolo no fim da tarde".

Florence Griffith Joyner, corpo fantástico, só músculos, a mulher mais rápida do mundo, deteve por dez anos os recordes mundiais dos 100 m dos 200 m. Dedicou toda a sua vida ao atletismo. Era o símbolo máximo da beleza olímpica. Um infarto a matou. Os animais não competem. Não têm interesse em saber qual é o melhor. Se eles pulam e correm, o fazem pelo puro prazer de pular e correr. Minha cachorra Luna, é só soltá-la num campo aberto para que se transforme numa flecha. E eu fico a contemplá-la, assombrado pela performance do seu corpo que nunca fez atletismo. Por que ela corre? Não é para pegar um coelho. Se corresse para pegar um coelho, sua corrida teria um objetivo prático, racional. Nem corre para provar que é mais rápida que outro cachorro. Se fosse esse o caso, estaria sendo movida pela mais pura motivação olímpica.

Numa Olimpíada, nenhum atleta executa sua atividade pelo prazer de executá-la. Cada atleta executa a sua coisa para provar-se o melhor de todos. O prêmio que o atleta recebe por sua performance não é algo que acontece com o seu corpo, como é o caso da minha cadela que corre pelo prazer de correr. O seu prêmio é algo abstrato, fora do corpo, medido por números. O atleta só fica feliz quando a fita métrica ou o relógio dizem que a sua marca foi a melhor.

Observe os corpos das nadadoras. São máquinas especializadas numa só função, treinadas por anos para derrotar a água. Pois não é isso que são as provas de natação? Numa competição de natação, a nadadora luta contra a água. A água, sua inimiga, resiste. Ganha a atleta que ficar menos tempo dentro da água. O prazer da nadadora não está na água; está no cronômetro. O sentido original da palavra "estresse" pertence à física, no campo da mecânica aplicada. Para determinar a resistência de um material, é preciso submetê-lo a "estresse", isto é, a forças, até o ponto de ele se partir. O ponto em que ele se parte é seu limite. A competição é essencial ao atletismo porque é só por meio dela que se podem fazer comparações.

Comparo vários materiais para determinar sua resistência. Comparo vários atletas para ver qual tem o melhor desempenho quando submetido ao estresse máximo. O corpo de Florence Griffith Joyner não agüentou. Arrebentou como um fio arrebenta se seu limite é ultrapassado. Se o atletismo é isso, a tese do professor de educação física a que me referi acima está justificada. A competição é uma violência a que o corpo é submetido. A imagem mais terrível que tenho dessa violência é a da corredora suíça, ao final de uma maratona, algumas Olimpíadas atrás [Los Angeles, 1984]. Chegando ao estádio, o corpo dela não agüentou. Os ácidos e o cansaço o transformaram numa massa amorfa assombrosamente feia. Ele não queria continuar; desejava parar, cair. Mas isso lhe era proibido: uma ordem interna lhe dizia: obedeça, continue até o fim. Ninguém podia ajudá-la. Se alguém o fizesse, ela seria desclassificada.

O locutor, comovido, louvava o extraordinário espírito olímpico daquela mulher. Ele não compreendia o horror daquilo que ele considerava sublime. A competição, representada no seu ponto máximo pelas Olimpíadas, é o oposto do brinquedo. O brinquedo é uma atividade feliz. Por sua vontade, o corpo não competiria. Ele brincaria. O corpo não gosta de competições e Olimpíadas porque elas existem sobre o estresse. E o estresse faz sofrer. Os atletas sofrem. Basta observar a máscara de dor nos seus rostos. O corpo vai contra a vontade, empurrado por um tipo que mora dentro da sua alma e que é dominado por uma obsessão narcísica.

Todo pódio é uma celebração do narcisismo. O que o espírito olímpico deseja é levar o corpo aos limites do estresse. E o limite do estresse é a morte. Não vou ver as competições. Mas vi o espetáculo maravilhoso da abertura. E verei o vôlei das meninas. E a ginástica. Porque é bonito...

(por Rubem Alves)

FRASES

“Quem não sabe o que procura, não percebe quando encontra.”
(Caio Domingues)


“Não acuse o mar por teu segundo naufrágio.”
(Pubilius Syrus)


“Os professores abrem a porta, mas você precisa entrar sozinho.”
(Prov. Chinês)

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

A História de um Soldado

Esta história é sobre um soldado que finalmente estava voltando para casa depois de ter lutado no Vietnã. Ele ligou para seus pais em São Francisco e disse: mãe, pai, eu estou voltando para casa, mas eu tenho um favor a pedir: gostaria de levar um amigo comigo.
- Claro! Nós adoraremos conhecê-lo!
- Há algo que vocês precisam saber, ele foi terrivelmente ferido na luta, pisou em uma mina e perdeu um braço e uma perna. Ele não tem nenhum lugar para ir, eu quero que ele vá morar conosco.
- Eu sinto muito em ouvir isso filho, nós talvez possamos ajudá-lo a encontrar um lugar para ele morar.
- Não, mamãe e papai, eu quero que ele more conosco.
- Filho, você não sabe o que esta pedindo! Alguém com tanta dificuldade não seria bom para nós. Nós temos nossas próprias vidas e não podemos deixar que uma coisa assim interfira em nosso modo de viver. Acho que você deveria voltar para casa e esquecer este rapaz. Ele encontrará uma maneira de viver por si mesmo.
Neste momento o filho desligou o telefone. Os pais não ouviram mais nenhuma palavra dele.
Alguns dias depois, no entanto, eles receberam um telefonema da polícia. O filho deles havia morrido depois de ter caído de um prédio. A polícia acreditava em suicídio. Os pais, angustiados, voaram para o local e foram levados para o necrotério a fim de identificar o corpo do filho. Eles o reconheceram, mas para o horror deles, descobriram que o filho tinha apenas um braço e uma perna.
Os pais nesta história são como muitos de nós. Achamos fácil amar aqueles que são bonitos ou divertidos. Mas, não gostamos das pessoas que nos incomodam ou nos fazem sentir desconfortáveis. Ficamos longe destas pessoas e de outras que não são saudáveis, bonitas e espertas.
Precisamos aceitar as pessoas como elas são e ajudar a todos a compreender aquelas que são diferentes de nós.
Há um milagre chamado AMIZADE, que mora em nosso coração. Você não sabe como ele acontece ou quando age. Mas, você sabe que este sentimento especial aflora e percebe que a AMIZADE é um dos presentes mais preciosos de DEUS.
Amigos são como jóias raras. Eles nos fazem sorrir e nos encorajam para o sucesso. Eles nos emprestam um ouvido, compartilham uma palavra de incentivo e estão sempre com o coração aberto.

Autor desconhecido

terça-feira, 28 de setembro de 2010

O Barqueiro

Em um largo rio, de difícil travessia, havia um barqueiro que atravessava as pessoas de um lado para outro. Em uma das viagens, iam um advogado e uma professora. Como quem gosta de falar muito, o advogado pergunta ao barqueiro:
- Companheiro, você entende de leis?
- Não - Responde o barqueiro.

E o advogado compadecido:
- É pena, você perdeu metade da vida!

A professora muito social entra na conversa:
- Seu barqueiro sabe ler e escrever?
- Também não - Responde o remador.
- Que pena! - Condoi-se a mestra!
- Você perdeu metade da vida!

Nisso chega uma onda bastante forte e vira o barco.
O canoeiro preocupado, pergunta:
- Vocês sabem nadar?
- Não! - respondem eles rapidamente.
- Então é uma pena - concluiu o barqueiro. Vocês perderam toda a sua vida!"

"Não há saber mais ou saber menos: Há saberes diferentes!"

Pense nisso e valorize todas as pessoas com as quais tenha contato.
Cada uma delas tem algo diferente para nos ensinar...

(Autor Desconhecido)

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Concentre-se naquilo que é realmente importante para você

Não há nenhum sentido em disputar um jogo que você não está interessado em vencer. Faça com que sua vida e suas expectativas sejam reflexos profundamente pessoais daquilo que é realmente importante para você.
O que você realmente deseja? Qual é a meta pela qual vale a pena lutar e que está de acordo com sue modo de ser? Não invista em um objetivo por mera competição, pela expectativa que os outros têm em relação a você, ou por um modelo que lhe impuseram quando criança.
Deixe o vizinho, o amigo, o parente com sua casa, seu carro, seu estilo de vida, e procure persistentemente descobrir o que você quer. Tenha consciência de que as imposições externas são contínuas e cruéis, e cuida de si com o maior carinho. Faça o mesmo com seus filhos: descubra como é cada um, e ajude-os a crescer desenvolvendo suas características únicas, em vez de apresentar-lhes um modelo esteriotipado. Não valorize as pessoas pelo que têm, mas pelo que são, e você aprenderá a respeitar-se no que possui de fundamental, o que lhe dará muita paz.
Os objetivos são essenciais para que as pessoas se orientem no mundo e para que alcancem a satisfação na vida. Buscar objetivos de acordo com as próprias características aumenta as chances de que os objetivos atingidos contribuam de modo positivo para a satisfação na vida.

(texto de David Niven, do livro “100 Segredos das pessoas felizes”)

sábado, 25 de setembro de 2010

FRASES

“Não te procures fora de ti mesmo.”
(Pérsio)


“As pessoas que são boas em arranjar desculpas raramente são boas em qualquer outra coisa.”
(Benjamin Franklin)


“Jamais descobriríamos alguma coisa se nos contentássemos com o que está descoberto.”
(Sêneca)

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Para Refletir

- liberta-te, às vezes, de ti mesmo; esquece a prisão dos teus sentidos e deixa o sol caminhar através da tua alma.
- em nossas fronteiras se encontram o infinitamente pequeno e o infinitamente grande. Tentamos explicar o mundo, mas é o mundo que nos explica.
- hoje em dia tudo tem dono: o ar, a terra, o oceano, a lua, a verdade, a vida e a morte. Nada nos resta senão sorrir.
- vivemos cercados de rotina. O giro da Terra em torno do Sol, o giro da lua em torno da Terra, as estações do ano que se repetem, a vida e a morte que se alternam, o bem e o mal, o nada e a eternidade. Por mais que tentemos fugir, sempre nos encontraremos, no início ou no fim, com a nossa rotina.

(Por Paulo Bomfim, do livro "O colecionador de minutos" – Ed. Gente)

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Viver não dói

Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
Mas das coisas que foram sonhadas
E não se cumpriram.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer,
Apenas agradecer por termos conhecido
Uma pessoa tão bacana,
Que gerou em nós um sentimento intenso
E que nos fez companhia por um tempo razoável,
um tempo feliz.
Sofremos por quê?
Porque automaticamente esquecemos
O que foi desfrutado e passamos a sofrer
Pelas nossas projeções irrealizadas,
Por todas as cidades que gostaríamos
De ter conhecido ao lado do nosso amor
E não conhecemos,
Por todos os filhos que
Gostaríamos de ter tido junto e não tivemos,
Por todos os shows e livros e silêncios
Que gostaríamos de ter compartilhado,
E não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados,
pela eternidade.
Sofremos não porque
nosso trabalho é desgastante e paga pouco,
mas por todas as horas livres
que deixamos de ter para ir ao cinema,
para conversar com um amigo,
para nadar, para namorar.
Sofremos não porque nossa mãe
é impaciente conosco,
mas por todos os momentos em que
poderíamos estar confidenciando a ela
nossas mais profundas angústias
se ela estivesse interessada
em nos compreender.
Sofremos não porque nosso time perdeu,
mas pela euforia sufocada.
Sofremos não porque envelhecemos,
mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós,
impedindo assim que mil aventuras
nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e
nunca chegamos a experimentar.
Como aliviar a dor do que não foi vivido?
A resposta é simples como um verso:
Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo,
mais me convenço de que o
desperdício da vida
está no amor que não damos,
nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca,
e que, esquivando-se do sofrimento,
perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional.
Fé é colocar seu sonho à prova!
(atribuído a Carlos Drummond de Andrade)

O que é um sábio

Certa vez,um homem encontrou-se com um mestre, e perguntou:

"Quem pode ser considerado sábio?"

"Aquele que pode distinguir o bem do mal", respondeu o religioso.

"Só isso? Então até mesmo um macaco pode ser considerado sábio, porque é capaz de distinguir o que é bom e o que é ruim para ele.

O homem então devolveu a questão:

"Já que é assim, então pode me dizer quem pode ser considerado sábio?"

"Aquele que, quando tem que escolher entre duas coisas boas e duas coisas más, é capaz de escolher a melhor das coisas boas e a menos grave das coisas más".

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Fé no futuro

O pessimismo pode até evitar que a gente cometa algumas besteiras, mas não leva ninguém para a frente. Aliás, não leva a lugar nenhum, porque nos deixa paralisados. E com isso desequilibra a balança da auto-estima.

Segundo os especialistas em comportamento, pessoas emocionalmente estáveis, que encaram a vida com esperança, são aquelas que...

...não generalizam o que deu errado, achando que são azaradas e que nada mais vai dar certo.
...não vivem se culpando por tudo.
...procuram estar cercadas por pessoas positivas, cheias de energia e que riem bastante.
... concentram-se na solução dos problemas, não nos problemas. E não se queixam sem motivo.
...sempre olham o lado bom das coisas, direcionando o foco para o que funciona.
...gostam de si mesmas, comemoram e falam sobre suas conquistas com naturalidade.
...não enxergam somente as qualidades alheias. As outras pessoas também não são perfeitas.
...não têm medo de demonstrar amor com gestos e palavras.
...não levam tudo a sério. Bom humor dissipa tensões.
...agem em vez de ficar se lamentando da falta de sorte.
...quando querem alguma coisa, vão à luta e não desistem diante da primeira dificuldade. Nem da segunda, terceira ou quarta.
...são pacientes com os outros e consigo também.

Faça parte desse time você também!

Esteja liberto

Abdique de sentimentos e pensamentos que gerem a sensação de estar preso, parado, apegado. Remova tudo o que o fizer sentir-se rastejante. Faça com que o rio flua, o filme rode, o carro ande...
Perdoe a si mesmo e aos outros. Perdoar é confinar o outro em apenas um de seus atos.
É libertar-se da mágoa e deixar-se voar em direção ao infinito.
Desapegue-se. O apego tem sempre como conseqüência o medo.
E, quando estamos apegados, temos medo de perder a coisa, a pessoa, a idéia. Portanto, liberte-se!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Frases

"Não é porque certas coisas são difíceis que nós não ousamos;é justamente porque não ousamos que tais coisas são difíceis.".
(Sêneca)

“A prosperidade faz amigos. A adversidade testa-os.”
(Pubilius Syrus)

“Reconpense a injúria com justiça e a gentileza com gentileza.”
(Confúcio)

“Você deve ter mais sonhos do que memórias.”
(Wayne Calloway)

O Guerreiro e o Mestre

Certo dia, um guerreiro muito orgulhoso, veio ver seu Mestre. Embora fosse muito famoso, ao olhar o Mestre, sua beleza e o encanto daquele momento, o guerreiro sentiu-se repentinamente inferior.

Ele então disse ao Mestre:
- Porque estou me sentindo inferior? Apenas um momento atrás, tudo estava bem. Quando aqui entrei, subitamente me senti inferior e jamais me sentira assim antes. Encarei a morte muitas vezes, mas nunca experimentei medo algum. Porque estou me sentindo assustado agora?

O mestre falou:
- Espere. Quando todos tiverem partido, responderei.

Durante todo o dia, pessoas chegavam para ver o Mestre, e o guerreiro estava ficando mais e mais cansado de esperar. Ao anoitecer, quando o quarto estava vazio, o guerreiro perguntou novamente:
- Agora você pode me responder porque me sinto inferior?

O Mestre o levou para fora. Era uma noite de lua cheia e a lua estava justamente surgindo no horizonte.

Ele disse:
- Olhe para estas duas árvores: a árvore alta e a árvore pequena ao seu lado.

Ambas estiveram juntas ao lado de minha janela durante anos e nunca houve problema algum. A árvore menor jamais disse à maior: "porque me sinto inferior diante de você?" Esta árvore é pequena e aquela é grande – este é o fato, e nunca ouvi sussurro algum sobre isso.

O guerreiro então argumentou:
- Isto se dá porque elas não podem se comparar.

E o Mestre replicou:
- Então não precisa me perguntar. Você sabe a resposta. Quando você não
compara, toda a inferioridade e superioridade desaparecem. Você é o que
é e simplesmente existe. Um pequeno arbusto ou uma grande e alta árvore, não importa, você é você mesmo, Uma folhinha da relva é tão necessária quanto a maior das estrelas. Simplesmente olhe à sua volta.

Tudo é necessário e tudo se encaixa. É uma unidade orgânica: ninguém é
mais alto ou mais baixo, ninguém é superior ou inferior. Cada um é
incomparavelmente único.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Meu desejo a você

Que apesar de todas as dificuldades, apesar de algumas tristezas que insistem, que mesmo com essa montanha erguida, o sol possa ser seu presente mais doce.
Desejo ao seu coração o querer que ele quer.



Que nas palavras que ele sussurra dentro do seu peito, sejam ouvidas aquelas que tem sabor de liberdade.
Que você esteja atento para o sopro da sua vontade real e jamais desista dos seus passos em direção à verdade.



Desejo que sua percepção acorde mais plena no calor de um sol novo e renovador.
Que ele lhe encoraje às atitudes que estão querendo respirar.
Aquelas que sempre são substituídas, aquelas que não se arrojam por ter os pesos de conceitos por demais antigos.



Desejo que você aceite seu tempo seja ele qual for.
Que sinta serenidade na espera necessária para que a semente plantada brote no tempo certo.
Desejo então que sua flor seja inteira e mesmo que inicialmente pequena e frágil, ela lhe traga as luzes de uma estrada azul.



Que sua sabedoria esteja desperta aguardando com tranqüilidade o desabrochar da sua flor.
Em paz, em cadência ritmada com o aprendizado que vem chegando.
Em mais suaves permissões a você.
Em muito mais reconhecimento da sua coragem.



Desejo a você um sol diferente.
Espalhando em alguns momentos e mostrando-lhe a fonte essencial para sua sede.
Desejo a cada instante você desnude mais seu coração e deixe que nele vibre em tom maior.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Amar o inimigo

Com certeza, o mais desafiante mandamento de Jesus é amar o inimigo.
Gustavo Gutiérrez, da Teologia da Libertação, costuma dizer que, para ser bom cristão, é preciso ter ao menos um inimigo, sem o que não se pode cumprir o preceito de Jesus. Muitos se perguntam como é possível ter amor a uma pessoa que me tem ódio ou me provoca sentimentos irados? Talvez a resposta esteja neste gesto de grandeza humana que relato abaixo.

Eis uma história que poucos conhecem... Todos se recordam do alcance mundial das temporadas em que trechos de óperas e clássicos do canto lírico reuniam três das melhores vozes do mundo: os tenores Luciano Pavarotti, da Itália, e os espanhóis Plácido Domingo e José Carreras.

De repente, o trio se calou. E isso aconteceu muito antes de Pavarotti decidir se aposentar. O que teria ocorrido? Domingo é madrileno, Carreras, catalão, e quem conhece a Espanha sabe da rivalidade que existe entre os habitantes das regiões de Madri e Barcelona. Mas não foi isso que afastou os dois tenores. Em 1984, eles tiveram uma forte desavença política. Não mais se falaram. E seus respectivos contratos passaram a exigir a ausência do desafeto nas apresentações públicas.
Em 1987, Carreras constatou que sofria de leucemia. Na Espanha, surgem cerca de 4.000 novos casos da doença por ano. O tenor submeteu-se ao transplante de medula óssea, a transfusões de sangue e a freqüentes viagens aos EUA, para tratamento. Sem poder cantar e cumprir os contratos, viu a sua fortuna consumida pelos cuidados de saúde.

Quase sem recursos, Carreras soube que havia em Madri uma instituição destinada à recuperação de pessoas com leucemia, a Fundação Hermosa. Entrou em contato, recebeu todo o apoio, curou-se e voltou a cantar. Graças aos seus altos cachês, refez as suas economias e decidiu doar parte de sua fortuna à obra da fundação, inscrevendo-se como colaborador permanente. Ao receber o contrato de adesão e ler os estatutos, constatou, surpreso, que o presidente da Fundação Hermosa e seu principal benfeitor chamava-se Plácido Domingo.


Ao investigar mais a fundo, o tenor catalão descobriu que Hermosa havia sido fundada para cuidar especialmente de um único enfermo: José Carreras. Plácido Domingo decidira preservar seu anonimato para não constranger o colega a aceitar a solidariedade de um inimigo.

Carreras viajou a Madri e compareceu a um espetáculo de Domingo. Subiu ao palco, interrompeu a apresentação, ajoelhou-se aos pés dele e agradeceu-lhe publicamente o seu restabelecimento. Inspirado no exemplo de Domingo, pouco depois Carreras inaugurou, em Barcelona, a Fundação Internacional José Carreras para a Luta contra a Leucemia (www.fcarreras.org/).

Mais tarde, um jornalista perguntou a Plácido Domingo por que havia criado a Fundação Hermosa para beneficiar um inimigo e concorrente nos palcos. O tenor madrileno respondeu: "Uma voz como a dele não pode calar".

terça-feira, 14 de setembro de 2010

É mais gratificante

Paul ganhou de seu irmão, como presente de Natal, um automóvel novo.
No dia de Natal, quando Paul saiu de casa, percebeu que um moleque de rua estava andando em volta de seu brilhante carro zero, admirando-o.

- Este carro é seu? Perguntou o menino.

Paul confirmou com a cabeça. Meu irmão me deu de presente no Natal.
O garoto estava maravilhado.
- Quer dizer que seu irmão deu a você e você não gastou nada? Cara, eu queria...

Paul julgou saber como o garoto completaria a frase. Por certo iria dizer que queria um irmão como o dele. Mas o que o moleque disse deixou Paul perplexo.
- Eu queria, continuou o garoto, poder ser um irmão assim.

Paul olhou para o garoto surpreso e, impulsivamente, lhe perguntou:
- Você gostaria de dar uma volta no meu automóvel?
- Sim, eu adoraria.

Depois de uma voltinha, o menino virou-se e, com os olhos resplandecentes disse:
- Você se importa de passar em frente à minha casa?

Paul sorriu consigo mesmo, pensando que sabia exatamente o que o moleque queria. Certamente desejava mostrar aos vizinhos que podia voltar para casa num carrão.

Mas Paul se enganara outra vez.
- Você dá uma paradinha ali onde estão aqueles dois degraus? Pediu o menino.

O garoto saiu do carro e subiu os degraus correndo. Logo, Paul o viu voltando. Mas não estava mais andando rápido, estava carregando seu irmãozinho paralítico. Fê-lo sentar no degrau de baixo e, abraçando-o com força, mostrou o carro.

- Lá está Buddy, exatamente como eu contei lá em cima! O irmão deu o carro a ele de presente de Natal e isso não lhe custou nem um centavo. Algum dia eu vou dar a você um como este... Daí, você vai poder ver, por você mesmo, as coisas bonitas. As vitrinas enfeitadas no Natal, as ruas e árvores iluminadas, as belezas enfim, sobre as quais eu tenho tentado contar a você.

Paul saiu do carro, pegou o garotinho no colo e o colocou no banco da frente, a seu lado. O irmão mais velho, com olhos brilhantes, sentou-se ao lado dele e os três começaram um inesquecível passeio de Natal.

Naquele momento, Paul compreendeu que é mais gratificante dar...

Uma história, uma lição...
Nesses tempos de tanto egoísmo, de individualismo e indiferença para com o sofrimento alheio, vale a pena refletirmos um pouco sobre esses pequenos gestos, que tanto engrandecem o homem.

Nesses tempos em que as criaturas estão ávidas por ter, e ter cada vez mais, vale pensarmos em conjugar o verbo ser.

Ser atencioso, ser caridoso, ser afetuoso, enfim, romper a concha do egoísmo e descobrir na doação aos semelhantes, a alegria de viver.

Pense nisso!
Diz um sábio provérbio chinês:
Se há luz na alma, haverá beleza na pessoa.
Se há beleza na pessoa, haverá harmonia no lar.
Se há harmonia no lar, haverá ordem na nação.
Se há ordem na nação, haverá paz no mundo.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Soneto de Fidelidade

De tudo, meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Ser Otimista

Quando se é criança, o mundo parece andar bem devagar. Há tempo para brincar e fazer descobertas sobre a vida. Já, na idade adulta, temos que vivenciar os problemas financeiros, dificuldades no trabalho ou relacionamentos amorosos complicados. Mas, mude esse jogo!

Pensar positivo, sem deixar de ter os pés no chão, é possível sim. Energia negativa e mau humor atraem mais estresse, intensificam a falta de ânimo, afastam as pessoas queridas e potencializam a possibilidade de fracasso.
Sem essa de dizer que sendo pessimista você se previne de decepções. Pensar sempre que algo vai dar errado faz com que se perca os bons momentos da vida. Marcou uma viagem? Não fique imaginando que vai chover ou que seu cartão de crédito não vai passar. Arrume as malas com cuidado, sem esquecer de conferir se levou tudo, leve mais de uma forma de pagamento e tire o guarda-chuva da bolsa!

Decepcionar-se faz parte da vida, mas perder uma batalha não pode fazer você desistir da luta. Senão, a tendência é tornar-se uma pessoa frustrada e estagnada na carreira e na vida pessoal. Sabe aquele papo de 'sou brasileiro e não desisto nunca'? Isso serve para todas as pessoas, independente da nacionalidade.

Quem consegue tirar a nuvem negra do caminho passa a ver o lado bom da vida e tem ânimo para buscar novas realizações. Você não conhece alguém assim? Pode ser por conta da fé em uma religião, por amar o trabalho apesar dos problemas ou simplesmente por saber que com bom humor e otimismo, a vida fica mais leve e fácil de ser vivida. O pessimismo é a crença de que o mundo é o pior possível. Acredite em um final feliz!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Antes de Tudo, Você!

Antes de ser o mais bonito,
seja autêntico e triunfará.
Antes de ser o mais inteligente
esforce-se mais e conseguirá.
Antes de ser o mais bem vestido
seja simples e encantará.
Antes de colecionar amores
procure o verdadeiro e encontrará.
Antes de ofender na hora da raiva,
seja dedicado e convencerá...
Antes de se acabar por um amor perdido,
valorize-se mais , goste mais
de você e não mais sofrerá.
Antes de mostrar que é um gênio,
mostre que é capaz de fazer o que os
outros tem preguiça e vencerá.
Antes de sentir-se derrotado,
pense que muitos desistem antes mesmo de começar.
E se você chegou onde está,
e até agora não conseguiu o que deseja, não desanime.
Pois Deus fez abismos
pra que o homem compreendesse as montanhas.
Fez obstáculos para que o homem louvasse os prazeres.
E fez você para que com ele descobrisse a vida
que há pela frente e encontrasse a felicidade...

Portanto, seja feliz...
seja amigo...
seja amável...
Seja antes de tudo...

Você!

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Felicidade

Felicidade é, realmente, a grande busca do ser humano. É o que está na origem de todos os nossos desejos, sejam eles quais forem. É para sermos felizes que buscamos a prosperidade, o amor da nossa vida, a saúde e a beleza, o sucesso no trabalho, a harmonia em família e tudo mais que podemos imaginar.
Mas... é mesmo difícil "encontrar" essa tal felicidade? A felicidade não é o tipo de coisa que se "encontra" nem se "busca" como algo que está fora da gente, como um pote de ouro no final do arco-íris. Não existe felicidade em lugar algum a não ser dentro de você mesmo!
A felicidade é que ela vem de uma disposição interior, uma capacidade para ter satisfação com o que se é aqui e agora. Olhe à sua volta e você encontrará alguém que se mostra satisfeito com o que faz, a vida que leva, o seu dia-a-dia, o seu mundo
Deixe de lado o pote de ouro e questione interiormente onde está a sua satisfação.
Só você pode saber se o calo dói, se a água mata a sede, se a roupa aperta, se a vida satisfaz.
O que impede que você tenha satisfação agora? Onde está sua satisfação? Você já parou para se dar uma satisfação sobre os desejos que não realizou ou abandonou no meio do caminho?

Entenda que ninguém mais pode lhe proporcionar satisfação a não ser você mesmo. Assuma isso e descobrirá que pode ser feliz agora.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Frases

“Um sorriso é a distância mais curta entre duas pessoas.”
(Victor Borge)

“Quem está descontente em um lugar dificilmente ficará contente em outro.”
(Esopo)

“Ser o que somos, e vir a ser o que somos capazes de ser, é o único objetivo da vida.”
(Baruch Spinoza)

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

O valor da amizade

A palavra amizade vem do latim "amicitia", que significa também afeição, simpatia, aliança, pacto... Mesmo com todas as possíveis significações do termo, não podemos esquecer que nos referimos a um conceito abstrato, não palpável, não mensurável e não visível.
Para o filósofo grego Aristóteles, a amizade é antes de tudo uma grande virtude, e o bem mais precioso da vida porque, sem ela, de nada adianta ter poder, dinheiro e sucesso...
O fato é que a amizade pertence à esfera dos sentimentos e, como tal, pode ser apenas parcialmente explicada ou descrita. Assim como o amor, a paixão, o desejo, a admiração, a solidão, a angústia e o medo, a amizade ultrapassa todas as explicações racionais e exatas.

Ela é um verdadeiro banquete para o espírito, o coração e as sensações, além de produzir material farto para a prosa, a poesia, o cinema, a música e todas as demais formas de arte.
A literatura, por exemplo, é riquíssima em personagens maravilhosos cujas histórias foram construídas tendo a amizade como pilar de suas aventuras e peripécias. É o caso de Dom Quixote e Sancho Pança, João e Maria, Sherlock Holmes e Watson, entre outros...

Todos personagens riquíssimos e exemplos de amizade tão raros e grandiosos, capazes de aproximar os leitores do significado real desse sentimento nobre.
Cabe a nós descobrir, semear e multiplicar para além da ficção o valor magnânimo desse sentimento... Talvez agindo dessa forma possamos comprovar que a amizade é a certeza do porto seguro, do ombro amigo, do abraço forte e do sorriso franco que amenizam dores, derrotas, tristezas, angústias, temores e inseguranças...

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Fazer e cumprir promessas

“Nada destrói a confiança mais rápido do que fazer uma promessa e não cumpri-la. Por outro lado, nada gera e fortalece a confiança como cumprir as promessas que fazemos.

É muito fácil prometer algo. Em geral isso satisfaz rapidamente a outra pessoa – especialmente quando ela está estressada ou ansiosa sobre o que precisa que resolvamos. Quando ficam felizes com a promessa, gostam de nós. E nós gostamos que gostem de nós.

....

Mas cumprir promessas é difícil. Geralmente envolve um doloroso processo de sacrifícios – especialmente quando passa o momento agradável de fazer a promessa ou quando as realidades ficam claras ou as circunstâncias mudam.”

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Borboletas

Passamos um longo tempo de nossas vidas correndo desesperadamente atrás de um amor, de um emprego, de uma casa, de uma amizade... e não conseguimos!
Será que não conseguimos mesmo ou não percebemos os sinais que recebemos de que ainda não estamos prontos! Preste atenção nessa mensagem, ela vai te ensinar muito: Não corra atrás de borboletas. Cuide de seu jardim e elas virão até você!

Devemos compreender que a vida segue seu fluxo e que ele é perfeito. Tudo acontece no seu devido tempo. Nós é que nos tornamos ansiosos e estamos constantemente querendo "empurrar o rio".

Calma! O rio vai sozinho obedecendo ao ritmo da natureza. Se passarmos todo o tempo desejando as borboletas e reclamando porque elas não se aproximam da gente, elas realmente não virão.

Mas, se nos dedicarmos a cuidar do nosso jardim, a transformar o nosso
espaço e a nossa vida num ambiente agradável, perfumado e bonito, essas "visitas" serão inevitáveis.


As borboletas virão até nós... Dê o que você tem de melhor e a vida lhe
retribuirá!

Frases

“O que é verdade à luz da lâmpada, nem sempre é verdade à luz do sol.”
(Joseph Joubert)


“Ser desconhecido dos homens e não se preocupar com isso, eis o que é próprio dos sábios.”
(Confúcio)


“Quanto mais aumenta nosso conhecimento, mais evidente fica nossa ignorância.”
(John Kennedy)


“Quanto mais duro você dá, mais sorte você tem.”
(Gary Player)


“Gostar daquilo que você faz e sentir que é importante – o que pode ser mais divertido do que isto?”
(Katherine Graham)

“A confiança em si mesmo é o primeiro segredo do êxito.”
(Ralph Waldo Emerson)

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Tempo de ser Feliz!

Ainda é tempo de ser feliz!
Olhar para dentro e ver os teus próprios valores,
lembrar das tuas conquistas e esquecer as tuas dores.
Que foram necessárias para engrandecer tua caminhada.
ANJO, conquistastes tesouros que só quem está aqui fora pode ver.



Nós somos privilegiados,
podemos ver tua luz Essa luz que vem de ti, das tuas palavras,
dos teus sonhos.


Privilegiados somos de fazer parte do teu mundo.
de ler os teus sentimentos e conhecer teus pensamentos.
A luz que vem de ti, é muito forte, e nos envolve.
acaricia, embala e nos faz sonhar!
Uma luz que chega de mansinho, e ilumina nossas vidas.
Nos dá força e nos faz
acreditar que devemos ter esperanças, sempre.



Pois a felicidade iremos encontrar! Basta acreditar.
Toma o leme do teu barco,
não espera a tempestade passar...



Cruza os teus mares, ainda tens muito que velejar!
Sempre haverá, no céu, um arco-íris,
depois que a chuva passar...

Um tempo para acreditar

Acreditar é saber que cada dia é um novo começo.
É confiar que os milagres acontecem
e os sonhos realmente se fazem realidade.

Acreditar é ver os anjos dançando entre nuvens,
sentir a maravilha de um céu estrelado e a
sabedoria do homem na lua.

Acreditar é abraçar o valor de um coração generoso,
a inocência do olhar de uma criança e a beleza da mão de um idoso;
porque através de seus sentimentos aprendemos a amar.

Acreditar é encontrar a força e a coragem
dentro de nos, quando o momento é de juntar os pedaços
e começar tudo de novo.

Acreditar é saber que nunca estamos sozinhos,
que a vida é um dom e que hoje é nosso tempo de apreciá-lo.

Acreditar é saber que as maravilhosas surpresas estão esperando acontecer;
e que todos nossos sonhos e esperanças estão ao nosso alcance.

Acreditar é dar a oportunidade a alguém sempre,
acreditar é dar o verdadeiro valor de um amigo...